9 de fev de 2017

A igreja de Éfeso: Cristo nos chama à intimidade

DISCIPULADO
ESCOLA BÍBLICA - 1ª AULA

Foi para os irmãos da igreja de Éfeso, que o apóstolo Paulo revelou estarmos em meio a um campo de batalha, onde as armas disponíveis para a luta vão muito além de uma vida apática, camuflada por idas e vindas à igreja. Paulo escreveu a epístola enquanto estava confinado, aguardando julgamento, e compartilha com os irmãos um grande mistério celestial: que a igreja é o Corpo de Cristo, sendo Jesus o Cabeça.


A palavra grega para “igreja” é “ecclesia” e significa uma assembleia de pessoas chamadas para fora, um organismo vivo, sendo guiado pelo próprio Deus. E não apenas recebendo direção, mas estando nEle. A expressão “em Cristo” aparece 36 vezes na epístola aos Efésios, enfatizando a necessidade de nos mantermos firmados em Cristo pela fé.

"Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade; com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo." Efésios 1:11,12.



A quem Paulo falava 

Éfeso era uma antiga cidade grega, localizada na Ásia menor, muito próspera devido a seu comércio e instalações portuárias.

Paulo evangelizou o povo daquela região durante três anos, depois deixou Timóteo encarregado da igreja local.

Desde o começo de sua história, Éfeso foi um centro politeísta. Diana, também conhecida como Ártemis, era considerada a principal deusa da cidade.

"Ao ouvirem isso, eles ficaram furiosos e começaram a gritar: 'Grande é a Ártemis dos efésios!'". Atos 19:28.

Perspectiva do templo de Diana, em Éfeso
Acreditava-se que dominava a natureza e, geralmente, era apresentada como a “deusa virgem”, reverenciada pelas donzelas como sua protetora. Era comum que fossem oferecidos sacrifícios humanos à Diana.

Seu templo em Éfeso chegou a ser considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo. Cidade envolvida com ocultismo e magia negra, misturava paganismo com judaísmo. Os cristãos foram ganhando terreno gradualmente.


A carta de João

"Ao anjo da igreja em Éfeso escreva: estas são as palavras daquele que tem as sete estrelas em sua mão direita e anda entre os sete candelabros de ouro. Conheço as suas obras, o seu trabalho árduo e a sua perseverança. Sei que você não pode tolerar homens maus, que pôs à prova os que dizem ser apóstolos mas não são, e descobriu que eles eram impostores. Você tem perseverado e suportado sofrimentos por causa do meu nome e não tem desfalecido. Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor. Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele. Mas há uma coisa a seu favor: você odeia as práticas dos nicolaítas , como eu também as odeio. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei o direito de comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus". Ap. 2:1-7


Em apocalipse, o apóstolo João transcreve uma mensagem do próprio Cristo aos líderes de sete igrejas. A primeira delas é Éfeso. No capítulo 2, vemos que Jesus possui a liderança de toda a igreja em suas mãos (“aquele que tem na mão direita as sete estrelas) e revista suas fileiras de soldados (“que anda no meio dos sete candeeiros de ouro”), com o objetivo de preservar e desafiar a cada um deles para que continuem o seu bom trabalho.

As sete cidades (igrejas) formam geograficamente um círculo. E Jesus anda no meio das igrejas que, como castiçais, trazem a verdadeira luz (que é a revelação do próprio Cristo).

A igreja de Éfeso se caracterizava por um zelo ardente pelo Senhor e por uma oposição muito forte aos falsos mestres. Era uma igreja ativa, autêntica e ensinava a doutrina verdadeira.

E Jesus nesta carta reconheceu todos esses atributos da igreja. Reconheceu sua paciência e perseverança, suportando toda a idolatria derredor. Não tolerava falsos profetas, estava sempre atenta aos ensinamentos e, por isso, permanecia pura na doutrina.

Mas, apesar de seu zelo e de seu trabalho árduo para o Senhor, os efésios tinham um sério problema: haviam esquecido o primeiro amor. Se envolveram com tantas atividades, que passaram a se preocupar mais com a obra e com formalismos do que com a intimidade com o Salvador. E, por isso, Jesus os repreendeu e orientou para que se lembrassem de onde haviam caído e se arrependessem, para poder recomeçar. Era necessário arrependimento, capaz de produzir mudança na mente e nas atitudes. Não bastava apenas entregar obras, mas fazê-las com sinceridade, de maneira apaixonada e devotada a Deus.

No versículo 7, vemos a promessa aos vencedores. Esses terão acesso ao fruto da árvore da vida, terão de volta aquilo que Adão entregou ao diabo no início da nossa história. Terão acesso à imortalidade, à vida eterna com Deus.

"Então disse o Senhor Deus: "Agora o homem se tornou como um de nós, conhe­cendo o bem e o mal. Não se deve, pois, permitir que ele tome também do fruto da árvore da vida e o coma, e viva para sem­pre. Por isso o Senhor Deus o mandou embora do jardim do Éden para cultivar o solo do qual fora tirado. Depois de expulsar o homem, colocou a leste do jardim do Éden querubins e uma espada flamejante que se movi­a, guar­dando o caminho para a árvore da vida". Gn. 3:22-24


O fim de Éfeso

Com o passar dos séculos, Éfeso não conseguiu preservar o primeiro amor e rebater os falsos ensinamentos. No ano 70 d.C., período em que Jerusalém foi destruída, se tornou o centro cristão mais importante da época. No entanto, por ter sido vulnerável aos ataques inimigos, foi afligida muitas vezes e por diversos povos.

Em 1.403, Éfeso foi completamente destruída. Todo o lugar ficou completamente desolado, sem imagens pagãs e nem símbolos cristãos. Até o mar daquela região, que continham grandes portos, se secou. Atualmente, em seu lugar fica uma pequena cidade turca chamada Ayasoluk e é controlada pelo islamismo.


Jesus nos chama à intimidade

A promessa de vida eterna permanece aberta hoje. Sabemos que muitos irmãos de Éfeso, ao ouvir a mensagem de Jesus naquela carta, se arrependeu, voltou ao primeiro amor e se encontrou com o Senhor. No entanto, as gerações se passaram, e tudo foi perdido em meio às ruínas.

Somos jovens e nossa geração deve lutar para preservar essa fé. Também estamos cercados de pessoas descrentes, cheias de paganismo, superstições, mas não podemos nos corromper, mas sempre lembrar que, ao seguir Jesus de todo o nosso coração, temos a promessa de uma vida eterna ao lado dEle.

Por isso, a carta do apóstolo Paulo traz uma mensagem de crescimento na fé. Aconselhando a todos nós a estarmos firmados “em Cristo”, haja o que houver. E isso independente de idade. Samuel ouviu a voz de Deus o chamando ainda quando criança. Ele de início não entendeu, não soube quem falava com ele. Mas, ao descobrir quem era, abriu a porta do seu coração e deixou o Senhor tratar. E, de um modo diferente do registrado nos versículos anteriores de 1 Samuel 3, no versículo 10 está escrito que “o Senhor veio e ficou ali”. E ali o Pai entregou mistérios a Samuel.

Não deixe que a sua idade o constranja de se achegar a Deus e entender que Ele está aqui e está aí, com você, em todo o tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário