29 de dez de 2018

Crentes, mas parcialmente libertos?


“Virá de Sião o Libertador e ele apartará de Jacó as impiedades. Esta é a minha aliança com eles, quando eu tirar os seus pecados”.

PREGAÇÕES
Mensagem: Elaine Lisbôa
Referência Bíblica: Romanos 11:26b-27

Prisões, restrições e impedimentos. O ser humano tem pavor dessas palavras e da sensação de estar aprisionado em alguma situação. Quando ouvimos o Evangelho de Cristo e nos convertemos a essa maravilhosa mensagem, a primeira promessa que recebemos é a libertação completa das cadeias que nos aprisionavam ao diabo. Mas, o que temos observado com certa frequência nas igrejas são mensagens de libertação para "crentes" que continuam vivendo no pecado e totalmente amordaçados por Satanás. Então, pergunto: Jesus não é suficiente para nos libertar? Existe cristão verdadeiro necessitando de libertação?

SEQUELAS DE UMA PRISÃO

O Instituto de Criminologia da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, realizou pesquisa com centenas de presidiários e constatou que a prisão muda a personalidade dos detentos. Foram verificadas as seguintes características nessas pessoas:

Perda crônica do livre arbítrio e de privacidade
Medo constante
Apatia emocional e dificuldade de relacionamentos
Desconfiança em relação aos outros

Mas não são apenas os presos fisicamente que experimentam esses sentimentos. Se pararmos para analisar, o ser humano, de maneira geral, busca constantemente a sensação de liberdade. Muitos praticam esportes radicais, outros, afirmam fazer da própria vida o que bem entender, já que não devem satisfação a ninguém. No entanto, a sensação de estar preso a algo continua, levando um número cada vez maior de pessoas ao suicídio.

Esse sentimento de aprisionamento surgiu quando Adão e Eva pecaram. A desobediência a Deus tornou o ser humano escravo do pecado e refém de Satanás. Até o dia em que Cristo mudou nossa história. Ou, pelo menos, era para ter sido assim.

PROMESSA DE UM LIBERTADOR

O apóstolo Paulo escreveu uma carta à igreja de Roma (epístola aos Romanos) cujo tema central é "justiça". A justiça de um Deus santo, que teve sua santidade afrontada quando o homem pecou e, em decorrência dessa desobediência, trouxe sobre a humanidade uma grave consequência: a escravidão. Mas havia uma providência divina, a promessa de um Libertador registrada em muitas passagens das Escrituras, mas especificamente descrita ao profeta Isaías e cumprida em Jesus.

“Virá o Redentor a Sião e aos de Jacó que se converterem, diz o Senhor. Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o Senhor: o meu Espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se apartarão dela, nem da de teus filhos, nem dos filhos de teus filhos, não se apartarão desde agora e para todo o sempre, diz o Senhor”. Isaías 59:20-21

O livro de Isaías é considerado uma Bíblia em miniatura em sua estrutura. Contém 66 capítulos, assim como as Escrituras possuem 66 livros, e pode ser dividido em duas partes, a primeira com 39 capítulos e a segunda com 27 capítulos (AT: 39 livros / NT: 27 livros). Na primeira parte de seu livro, Isaías aborda a contenda de Deus com o homem por causa do pecado, encerrando o capítulo 39 com a profecia da vinda do Rei da Justiça e da redenção de Israel. Na segunda parte, a partir do capítulo 40, Isaías fala da voz que clama no deserto, da vida e obra do Messias, e encerrando o livro com a visão de um novo céu e uma nova terra em que habita a justiça.

No capítulo 59, o profeta aborda os pecados do povo, da impureza de seus lábios, da violência, das trevas no caminho, da cegueira espiritual que os faziam tropeçar. Mas Isaías encerra essa passagem trazendo uma promessa de Deus: Ele enviaria um Redentor, um Libertador, que tiraria as impurezas do povo e o Espírito Santo colocaria a Palavra Viva em seus corações para sempre, de uma vez por todas.

JESUS, NOSSO LIBERTADOR

E o nosso libertador veio. O próprio Deus se fez carne, habitou entre nós, e transmitiu a Palavra do Pai. No Evangelho de João 8:31-36, Jesus se declara o nosso Libertador.

“Disse Jesus aos judeus que criam nele: Se permanecerdes no meu ensino, verdadeiramente sereis meus discípulos. Então, conhecereis a verdade e a verdade vos libertará [...] Em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado [...] Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. João 8:31-36

Segundo o dicionário, escravo é alguém cativo, destituído de sua liberdade, que vive em absoluta sujeição a outro. Jesus está dizendo que todo aquele que não é dEle e vive na prática do pecado é escravo, está aprisionado e sob o domínio de Satanás.

No entanto, todos aqueles que são de Cristo tiveram suas dívidas de morte pagas e verdadeiramente estão livres! Logo, se temos a liberdade de Cristo, se aceitamos a Ele e os Seus ensinamentos estão gravados em nosso coração, porque ainda estamos clamando por libertação? Jesus é a chave que abre as cadeias de todo aquele que crê.

Temos convivido com pessoas dentro das igrejas que acreditam viver em maldição hereditária, que continuam na prática do pecado (com vícios, avareza, prostituição...) e dizem viver um novo nascimento "gradativo", ou seja, sem libertação completa, mas ainda aguardando um dia Jesus "concluir a obra" e libertá-las do pecado.

Talvez isto aconteça com você hoje. Sua fé tem sido constantemente abalada. Ora está firme, ora está pisando em uma estrada de areia. Ora se sente fortalecido em Deus, mas a prova chega e as dúvidas cercam sua mente e seu coração, seduzindo novamente para o caminho da escravidão, do pecado. Quantos em nosso meio nunca foram libertos de seus vícios e pecados! Será que Cristo não tem poder para abrir essas cadeias?

“Fostes libertados do pecado [...] Libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna”. Romanos 6:18 e 22.

Se declaramos que Cristo tem TODO O PODER no céu e na terra, por que ainda está acorrentado? Por que ainda clama por libertação? Verdadeiramente Cristo já nos libertou! Não somos escravos do diabo, mas somos propriedades adquiridas pelo próprio Deus!

Todo aquele que é nascido de novo em Cristo está COMPLETAMENTE LIBERTO, as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo. Crente lavado no sangue de Jesus não necessita mais de libertação. A caminhada com Jesus nos aperfeiçoará na santificação, na regeneração. Definitivamente não estamos mais amordaçados pelo mal.

“Cristo nos libertou para que sejamos, de fato, livres. Estai, pois, firmes, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da escravidão”. Gálatas 5:1

Deixe Cristo tomar a direção da sua vida, conduzir e cumprir o propósito que Ele tem desde o dia em que soprou o fôlego de vida sobre você. Deixe Ele te usar como instrumento. Seja livre para exercer sua diaconia, seu serviço no Reino!

Sim, irmãos, somos definitivamente LIVRES em Cristo. As obras do diabo não podem prevalecer contra a igreja do Deus vivo. Por isso, peça para Ele conduzir a sua história a partir de hoje, peça para Ele dirigir sua vida, tirar todo o impedimento, todos os muros, todas as barreiras, e conduzir dia após dia para o Seu Reino de amor e liberdade, porque a nossa fé está no nosso Deus, no nosso Libertador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário