31 de out de 2012

Você está preparado para o arrebatamento da igreja?

A qualquer momento, a Noiva de Cristo será retirada desta Terra. Médicos, motoristas, policiais, idosos, crianças e pessoas de todas as partes do mundo, das mais diversas atividades, sumirão como num abrir e fechar de olhos, causando grandes acidentes aos que ficarem. Somente Deus sabe quando todas estas coisas acontecerão, mas Ele garante o resgate daqueles que O amam e aguardam com esperança o cumprimento da profecia bíblica. 

Pregação: Pr. Rico 
Referência: I Tessalonicenses 4:13-17 
Data: 21 de outubro de 2012 
Texto: Elaine Lisbôa 

Pregações, estudos e seminários são feitos a mais de dois mil anos alertando a respeito do arrebatamento da igreja, chegando ao ponto de muitos julgarem ser apenas uma “coisa de crente”, que não passa de pura superstição. Entretanto, mesmo com essa repetição contínua, o assunto ainda é desconhecido pela maioria das pessoas, que generaliza todas as profecias como “o fim do mundo” ou “o apocalipse”, sem a menor preocupação em obter embasamento nas Escrituras Sagradas.

A nova “moda” são os filmes, minisséries e propagandas que ironizam a chegada do suposto “fim do mundo” em dezembro deste ano. E as confusões de alastram, tornando a bobagem em peça principal e ofuscando – quando não literalmente excluindo – a verdadeira sequência de fatos que a Bíblia revela.


A palavra arrebatamento vem do grego arpadzo e significa “retirar algo com rapidez e de forma inesperada, raptar”. No latim temos o verbo raptare, que significa “tirar, arrancar, tomar das mãos alguma coisa de forma violenta”. A seguir você irá conferir biblicamente do que se trata esse evento tão importante para a igreja, no qual podemos dividir em três etapas: O Recolhimento, o Tribunal de Cristo e as Bodas do Cordeiro. Neste texto falaremos apenas da primeira.

O Recolhimento 

O recolhimento da igreja de Cristo terá quatro características: Será invisível, silencioso, momentâneo e inesperado. Na passagem de referência desta mensagem, o apóstolo Paulo procura consolar a igreja de Tessalônica pela perda de seus entes queridos, dizendo que não precisava se entristecer como os incrédulos, pois Jesus tornaria a reunir todos aqueles que morreram confiando em Seu nome.

“Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará em sua companhia os que dormem [...] ouvida a voz do arcanjo e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os que estivermos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”. 

Ele explica que, um dia a trombeta será ressoada, Jesus descerá dos céus e ainda nos ares chamará pela Sua Noiva. Todos aqueles que morreram crendo que “nEle foram criadas todas as coisas, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades”, que “tudo foi criado por Ele e para Ele”, que “Ele é antes de todas as coisas” e “todas as coisas subsistem por Ele”, e que confessem que “Ele é a cabeça do corpo, da igreja”, sendo “o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência” (Colossenses 1:16-18), todos esses serão ressuscitados primeiro.

Na sequência, Paulo diz que, as pessoas que estiverem vivas terão seus corpos transformados, “porque é necessário que este corpo corruptível se revista de incorruptibilidade, e o corpo mortal se revista de imortalidade para que se cumpra a palavra escrita: Tragada foi a morte na vitória” (1 Coríntios 15:54).

Agora, juntos, os mortos e os vivos em Cristo estarão preparados para se apresentarem diante de Deus e participarem dos dois eventos que falaremos nos próximos dias. Imagine então, milhares de pessoas de todas as partes do planeta desaparecendo no mesmo instante. A quantidade de acidentes, o caos generalizado, famílias com suas crianças desaparecidas (pois delas é o Reino dos Céus)... Esse será o ambiente em que o anticristo aparecerá para propor a “paz mundial”. Recomendo, inclusive, os livros de ficção da série “Deixados para Trás”, de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins, que ilustra bem esse momento.

O arrebatamento, portanto, está relacionado apenas à igreja e sua ocorrência não será percebida pelo mundo (invisível e silencioso) até o instante em que todos sumirem simultaneamente e misteriosamente em todos os continentes sem deixar pistas. Apenas a Noiva verá o Noivo nos ares, e este momento será apenas o início de uma eternidade dos santos ao lado do Pai.

Quando acontecerá? 

Jesus nos diz que aquele dia e hora ninguém sabe (momentâneo), nem os anjos do céu, mas unicamente o Pai (Mateus 24:36). Ele será rápido como um relâmpago e Cristo virá como ladrão, sem prévio aviso. Esse momento é aguardado desde a Sua ascensão aos céus (Atos 1:9).

Acontecerá com uma velocidade excepcional, numa fração de tempo muito pequena para ser medida pelos instrumentos humanos. Será uma operação sobrenatural que desafiará as leis da física e demais ciências.

Jesus ainda explica em Lucas 17:25 que será como na época de Noé, quando todos comiam, bebiam, se casavam, mas não davam ouvidos ao clamor do patriarca. Inesperadamente aconteceu o dilúvio e todos foram mortos. No dia do arrebatamento, estarão dois trabalhando e um será tomado, dois dormindo na mesma cama e apenas um será levado.

“Porque assim como um relâmpago, fuzilando, brilha de uma à outra extremidade do céu, assim será, no seu dia, o Filho do Homem [...] Naquele dia, dois estarão numa cama; um será tomado, e deixado o outro; duas mulheres estarão juntas moendo; uma será tomada e deixada a outra. Dois estarão no campo, um será tomado e o outro deixado”. Lucas 17:24-36. 

“Lembra-te pois do que tens recebido e ouvido e guarda-o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecereis de modo algum em que hora virei contra ti”. Apocalipse 3:3. 

Paulo também explicou a rapidez do acontecimento:

“Pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como o ladrão da noite. Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina e grande destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar a luz, e de nenhum modo escaparão”. 1 Tessalonicenses 5:2-3. 

Quem irá subir? 

Somente participarão desse momento tão glorioso as pessoas que estiverem firmes na fé, esperando o seu Senhor com convicção e compromisso com a Palavra de Deus. A igreja arrebatada não será composta de frequentadores de templos, mas crentes transformados e santificados, que tomam a sua cruz diariamente, abrindo mãos das concupiscências de seu coração, mente e corpo para viverem uma vida de santidade e compromisso com Cristo.

Muitos convertidos ao Senhor Jesus oscilam na fé com frequência, deixando que tudo seja motivo para o afastamento do caminho. A igreja que irá subir será aquele cristão que possui compromisso com a obra, sabendo que em Deus o seu trabalho não é vão.

É preciso orar e vigiar constantemente, não abrir mão dos valores cristãos por satisfações temporárias, permanecendo com unção e alegria de servir a Deus. Jesus espera uma igreja que não esteja vendida e corrompida com o pecado.

“Ora, as obras da carne são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a essas, a respeito das quais eu vos declaro, como já outrora preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam”. Gálatas 5:19-21. 

Finalmente, a igreja que será arrebatada estará com o Fruto do Espírito desenvolvido em sua vida. Não perdendo o senso do arrependimento e trabalhando na obra com amor.

“Mas o fruto do espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. E os que estão em Cristo Jesus crucificam a carne, com suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito”. Gálatas 5:22-25. 

Como estão as tuas vestes espirituais? A promessa da vinda de Cristo foi feita por Deus desde a queda do homem e após muitos séculos ela se concretizou, pegando a muitos de surpresa. Ainda que esta geração não veja tais coisas acontecerem, se morrermos com Cristo, seremos os primeiros a passar pela transformação do corpo e considerados “VENCEDORES”!

“O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”. Apocalipse 3:5. 

São grandes as recompensas prometidas para o servo fiel, e sobre elas falaremos no próximo texto. Esta série de mensagens tem como base as pregações realizadas pelo Pr. Rico, na IEQ Parque das Nações, em Barueri.

Nenhum comentário:

Postar um comentário