13 de set de 2012

Quem é Deus

SEÇÃO: TEOLOGIA SISTEMÁTICA

Para iniciar esse estudo me apropriarei da definição do teólogo Pearlman sobre quem é Deus:

“Deus é espírito, infinito, eterno e imutável em seu ser, sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade e verdade”. 

Só podemos conhecer a Deus, e realmente defini-Lo, através do que Ele mesmo revelou a respeito de si mesmo nas Escrituras, onde encontramos quem Ele é, como é Sua personalidade e como O agradar. Ao lermos a Bíblia aprendemos que Deus é Espírito (João 1:18), é perfeito (Mateus 5:48), é pessoal (Êxodo 3:14; 6:2,3) e único (Deuteronômio 6:4;14). Por Ele e para Ele tudo foi criado (1 Coríntios 8:6). Nele não há injustiça, não há erros, fiel é o nosso Deus!

“Ele é a Rocha, as suas obras são perfeitas, e todos os seus caminhos são justos. É Deus fiel, que não comete erros; justo e reto ele é”. Deuteronômio 32:4. 


A personalidade de Deus

A personalidade do Senhor é compreendida pelas características e propriedades que Lhe são atribuídas. O vemos demonstrando Sua personalidade com tristeza e ira devido a corrupção do ser humano (Gênesis 6:6), também O vemos demonstrando amor mesmo para com um povo que O rejeitava e desobedecia (Deuteronômio 7:8) e rejeitando os soberbos, mentirosos, assassinos, perversos e falsos (Provérbios 6:16).

A personalidade de Deus também pode ser compreendida pela relação que mantêm com Sua criação. A Bíblia diz que Ele sustenta todas as coisas por Sua palavra poderosa (Hebreus 1:3) e sabe até quantos fios de cabelo cada um de nós possui (Mateus 10:29-30). Nos ama de tal maneira que através de Jesus nos concedeu o direito de sermos chamados Seus filhos (1 João 3:1)!

“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito”. Romanos 8:28. 

A natureza de Deus

Por ser Espírito, Deus não pode ser visto com olhos físicos, nem percebido pelos sentidos naturais dos seres humanos, entretanto Ele pensa, sente, fala e age, explicando a nossa forma de ser, pois fomos criados à Sua imagem e semelhança. Ele não está sujeito às limitações humanas. Nós estamos dotados de corpo físico, por isso sofremos com o cansaço, fadiga, mal-estar, sono, fome e sede. Deus não é assim, pois não está exposto ou sujeito às condições naturais de existência. Ele é infinitamente superior a isso. Deus é a origem e a fonte de todas as coisas, Sua natureza é divina.

“Os ídolos deles, de prata e ouro, são feitos por mãos humanas. Têm boca, mas não falam; olhos, mas não podem ver; têm ouvidos, mas não podem ouvir; nariz, mas não podem sentir cheiro; têm mãos, mas nada podem apalpar; pés, mas não podem andar; e não emitem som algum com a garganta”. Salmos 115:4-7. 

Vejamos algumas características da natureza do nosso amado Deus:

É Vivo e Autoexistente: Deus é um Deus vivo (Hebreus 10:31). Ele sempre existiu, não tem começo e nem fim (Salmos 90:2), em Sua essência há vida latente, Ele não precisa de nada fora de si mesmo para existir. Ele é o grande “EU SOU” (Êxodo 3:14).

É Espírito: Deus não é uma mera ou simples energia, uma série de emanações, muito pelo contrário, Ele é espírito. Não pode ser contido ou controlado. É real e infinito, de maneira que o homem jamais poderá compreendê-Lo plenamente enquanto for carne.

É Incomensurável: Não se pode medir (Salmos 71:15). Não está limitado pelo espaço ou tempo, pois Ele mesmo os criou, mas está presente em cada lugar do espaço e em cada momento do tempo (Salmos 139:7-12).

É Perfeito: Sua obra e Seus caminhos são perfeitos, não há qualquer tipo de erro. Por mais que as tribulações e provações nos façam pensar que de alguma maneira Deus não sabe o que está fazendo, Ele tem sempre um propósito em Suas ações (Mateus 5:48).

É Verdade e a Fonte da Verdade: Deus não somente pratica a verdade, tem atitudes verdadeiras e fala a verdade, mas Ele é a própria Verdade. Não há nada falso em Deus (Jeremias 10:10). Ele é a fonte da verdade, por isso não pode negar a Si mesmo, nem revogar a Sua Palavra, então Ele é a nossa segurança e podemos confiar nEle totalmente (Salmos 31:5).

É Gracioso: A graça de Deus é a expressão sublime do Seu amor. A graça significa um favor imerecido que Deus, na Sua perfeita justiça, manifestou por intermédio do sacrifício do Seu Filho, trazendo salvação a todos os homens (2 Timóteo 1:9).

É a Vida: Deus é a própria origem da existência de todas as coisas (João 5:26). Ninguém vive a partir de si mesmo e só para si mesmo. Nossas vidas estão interligadas umas as outras, de modo que somos parte de um projeto muito maior do que a nossa própria vida particular. Quando entendemos que foi Ele quem nos deu a vida, percebemos que só podemos viver em contato contínuo e íntimo com Ele. Quem conhece a Deus e sabe quem Ele é, não quer se afastar dEle, pelo contrário, quer aprender e se aprofundar na caminhada com o Criador e Doador da vida.

É amor: O amor é considerado erroneamente como um sentimento, mas na verdade ele é uma escolha e uma ação (1 João 4:8). Deus é a fonte do amor (1 João 4:16). Ele nos amou o suficiente sacrificar Seu Filho por nós. Jesus é o nosso exemplo maior do que significa amar. Suas atitudes são supremas demonstrações de amor (Romanos 8:38-39).

Possui todo o conhecimento: Deus criou todas as coisas de forma organizada e pensada. Cada detalhe, cada componente químico e cada interação foram planejados. Ele é o Criador e o Sustentador de todos os elementos físicos e químicos dos organismos vivos. Cada um desses elementos tem uma estrutura inteligível e enquadra-se num sistema no qual as partes agem e reagem umas com as outras de maneiras específicas, determinadas pelo sistema. O conhecimento de Deus é chamado de onisciência, que significa que Seu saber é universal, abrange todas as coisas, todas as pessoas e todos os acontecimentos.

É Bom: O Senhor é puro e não é motivado por impulsos, nunca paga o mal com o mal, não age de forma detestável e odiosa. Sobre justos e injustos, sobre o Seu povo e os ímpios, faz brilhar o mesmo sol que nos alegra e a mesma chuva que nos sacia a sede e dá alimento. A bondade de Deus é inegável. Ele é a resposta para as nossas necessidades. Ele nos quer bem, nos perdoa com misericórdia e quer nos abençoar plenamente.

“Quem é comparável a Ti, ó Deus, que perdoas o pecado e esqueces a transgressão do remanescente da sua herança? Tu não permaneces irado para sempre, mas tens prazer em mostrar amor”. Miquéias 7:18.

Fonte: Apostila "Teologia Sistemática I", do ITQ, e Módulo "Básico - O conhecimento ao alcance de todos", da Faculdade Teológica Harvest.

Nenhum comentário:

Postar um comentário