13 de jan de 2012

Atos dos Apóstolos – Capítulo 6

O começo da estrutura organizacional da igreja

Com o crescimento da igreja (eram mais de cinco mil pessoas), há cada dia surgia um número maior de tarefas internas para serem feitas. Até este momento, toda a assistência era dada pelos apóstolos, no entanto, eles queriam pregar e evangelizar.

Começaram então as murmurações, pois as viúvas helenistas estavam ficando desamparadas. Foi quando sentiram a necessidade de se montar uma estrutura organizacional. Sugeriram que a multidão escolhesse sete homens (que não fossem eles) para o serviço. Os requisitos eram: Que fossem homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria. Esta decisão agradou a todos e acabou a murmuração.

Vemos aqui o registro dos primeiros Diáconos, embora o nome ainda não tivesse sido instituído. Vale destacar que vemos mais uma vez o número sete registrado nas Escrituras. Agora, porque sete?

· Jerusalém era dividida em 7 distritos;
· Sete é um número sagrado para os judeus;
· Sete é o número da perfeição divina;
· Deus descansou no 7º dia;
· O homem também deve descansar no 7º dia;
· Havia um ano sabático e um ano do jubileu após 7x7 anos;
· Algumas festas duravam 7 dias;
· Algumas tarefas judaicas duravam 7 dias;
· O dia da expiação era no 7º mês do ano;
· O candeeiro de ouro tinha 7 ramos;
· O salmista louvava a Deus 7 vezes ao dia.

Os escolhidos pelo povo foram todos da classe helenista: Estevão: Homem cheio do Espírito Santo. Tinha influência. Filipe: Não era o apóstolo. Tinha inluência. Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau (prosélito de Antioquia da Síria).

A igreja continuou a crescer tendo, inclusive, entre os que aceitavam a Palavra grande número de sacerdotes. Havia aproximadamente 1800 que cumpriam deveres no Templo por uma quinzena no ano.


A prisão e acusação de Estevão (Atos 6:8-15)

Estevão, do grego “stephanes”, significa “coroa”, não era apóstolo. Ele operava milagres em nome de Jesus, mas pessoas da sinagoga se levantaram contra ele. Cristãos de língua grega começaram agora a atingir seus companheiros judeus com o evangelho. Eles inventaram acusações de que Jesus mudaria a Lei e os costumes que Moisés dera e que Jesus destruiria o Templo.

Estas coisas irritaram também os líderes do Concílio, então Estevão é preso. O capítulo se encerra dizendo algo tremendo: “Todos os que estavam assentados no Sinédrio, fitando os olhos de Estevão, viram o seu rosto como se fosse rosto de anjo”.


Referências:
Apostila “Atos dos Apóstolos”, do Instituto Teológico Quadrangular, 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário