31 de dez de 2012

Apocalipse: A descrição de Jesus Glorificado

ESTUDOS TEOLÓGICOS
ESCATOLOGIA

"E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém". Apocalipse 1:5-6. 

O livro do apocalipse é um dos mais impressionantes e intrigantes escritos bíblicos de todos os tempos. Seu enredo é pleno de tensão do início ao fim, e registra o retorno de Jesus Cristo, agora cheio de glória e de poder, ressaltando Sua divindade e o cumprimento da promessa feita no livro de Atos dos Apóstolos.

"E, quando [Jesus] dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir". Atos 1:9-11. 

O apóstolo João recebeu a revelação deste escrito por volta de 90 ou 96 d.C., período em que estava preso em Patmos, uma pequena ilha localizada no mar Egeu, próxima da Grécia e a aproximadamente 80 km de Éfeso; lugar de banimento durante os tempos romanos, do qual o apóstolo estava sendo punido por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Cristo (Ap. 1:9). Quem “assina” a carta que revela as coisas que irão acontecer é o próprio Senhor Jesus, direcionada aos Seus servos: a Igreja.

"Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto. Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E da parte de Jesus Cristo". Apocalipse 1:1-5. 

A visão de João começa apresentando Jesus de uma maneira completamente diferente da registrada nos Evangelhos. Agora, não mais um Cristo sofredor, que foi morto para conceder salvação aos que cressem na remissão dos pecados por meio de Seu sangue, mas um Jesus Glorificado, cheio de glória e majestade, que tem a Noiva em suas mãos. Ele está de pé entre sete castiçais de ouro, que representam as igrejas. Esses castiçais provam mais uma vez que o povo de Deus deve ser um luzeiro para o mundo (Mateus 5:14).

João, antes de narrar os terríveis acontecimentos que viriam sobre a Terra na Grande Tribulação, começa a registrar tranquilidade às igrejas, evidenciando que o Seu Rei possui o controle de todas as coisas e que às conhece intimamente, inclusive os seus pecados e defeitos.

Intrigado para saber quem falava com ele, o apóstolo diz que voltou-se para ver. No meio de sete candeeiros de ouro, Jesus passeava, com aspectos tão impressionantes, que João teve de utilizar o recurso das comparações; embora saibamos que a visão do Cristo Glorificado é forte demais para a mente humana compreender.


 Descrição dos nove aspectos de Jesus 


1. Usava vestes talares

As vestes simbolizam dignidade e honra. Apresentam Jesus como o Sumo Sacerdote, que clama ao Pai pela defesa de sua igreja.

"Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo". 1 João 2:1. 2. 

Usava uma cinta de ouro à altura do peito 

O ouro representa a natureza divina de Jesus e o cinto se aloja na altura do peito, lugar que representa o alojamento dos sentimentos humanos, evidenciando a essência do Todo-Poderoso, que é amor.

"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor". 1 João 4:8. 

3. Sua cabeça e Seus cabelos eram brancos como alva lã 

Mostram que Jesus é o Ancião de Dias. Destacam Suas experiências e vivência. Ele é o Deus eterno, que é, que era e que há de vir. O que não tem princípio e nem fim.

"Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente”. Daniel 7:9. 

4. Seus olhos eram como chamas de fogo 

Destacam sua inteligência, que traz à luz as coisas ocultas. Representam a onisciência de Jesus; tudo Ele pode ver e nada pode ser escondido de Sua presença. O fogo representa a renovação que somente Cristo pode trazer para a vida do crente, fogo que queima e consome os erros do homem.

"Não darei sono aos meus olhos, nem repouso às minhas pálpebras". Salmos 132:4.

5. Seus pés eram semelhantes a bronze polido 

Simboliza que Jesus é vencedor e cumpridor da profecia de que esmagaria a cabeça de Satanás e colocaria a Sua igreja em posição de pisar serpentes e escorpiões.

"E porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. Gênesis 3:15. 

“Eis aí vos dou autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano”. Lucas 10:19. 

6. Sua voz era como voz de muitas águas 

Representam a fidelidade e a verdade que há em Jesus, destacando a veracidade da Palavra de Deus. Pela Sua voz tudo foi feito, pois Ele é o Verbo de Deus.

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez". João 1:1-3. 

7. Em sua mão direita tinha sete estrelas 

Jesus possui em Sua mão direita os anjos das sete igrejas. Ele coloca em posição honrosa os servos fiéis que direcionam o Seu rebanho. Também protege a igreja das mãos do Maligno, que por séculos tentou destruí-la.


"Os meus tempos estão nas tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem". Salmos 31:15.

"Nas suas mãos estão as profundezas da terra, e as alturas dos montes são suas". Salmos 95:4.

"Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me redimiste, SENHOR Deus da verdade". Salmos 31:5.


8. De Sua boca saia uma espada afiada de dois gumes 

Sua boca pronuncia julgamento. De um lado da espada temos o período atual da igreja, o momento da graça e da misericórdia de Deus; do outro lado, o juízo.


"Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)". Efésios 2:5.

"E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo". João 16:8.


9. O seu rosto brilhava como o sol na sua força 

Sua luz representa pureza, majestade e poder. Ao ver toda a glória de Cristo, João caiu aos Seus pés como morto. Jesus então o tranquiliza, dizendo que não era preciso temer, pois Ele é o primeiro e o último, está vivo pelos séculos dos séculos e possui as chaves da morte e do inferno.


"Porque o SENHOR Deus é um sol e escudo; o SENHOR dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão". Salmos 84:11.



Esse é o Jesus que a humanidade verá. A igreja não precisará ter medo, pois estará nas mãos do Mestre. Cristo encerra esse primeiro capítulo do livro do Apocalipse dizendo que João deveria escrever todas as coisas que iria ver. Esse seria o registro que mostraria o futuro da humanidade...

 Esse texto teve como base a pregação do Pr. Rico realizada no dia 04/11/2012, na IEQ Parque das Nações, em Barueri, e na apostila do Instituto Teológico Quadrangular (ITQ), “Escatologia – A doutrina das últimas coisas”, de 2006 e na apostila do ITQ “Panorama Bíblico Avançado”, de 2004.


Textos anteriores de ESCATOLOGIA


Você está preparado para o arrebatamento da igreja?
A recompensa da igreja arrebatada: O Tribunal de Cristo
A recompensa da igreja arrebatada: As Bodas do Cordeiro



Nenhum comentário:

Postar um comentário