4 de dez de 2011

O que é o Espiritismo à luz da Bíblia

Allan Kardec: “O Cristianismo e o espiritismo ensinam a mesma coisa”.
Evangelho Segundo o Espiritismo. Página 1178.

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. 1 João 4:1

A Bíblia é o manual de fé de todo o cristão. Apesar de muitos questionarem se as Escrituras se tratam ou não de um livro escrito por homens divinamente inspirados por Deus, se torna indiscutível a brilhante forma como foi composta.

Os manuscritos bíblicos sobreviveram a um período de tempo de 1.500 ou 1.600 anos e, quando estudados, podemos observar com clareza de que em nada se contradiz.


Foram cerca de 40 pessoas que escreveram os 66 livros da Bíblia, pessoas que vivenciaram períodos diferentes da história e de diversas classes sociais, desde reis ao mais humilde pescador.

Todos apresentam e descrevem o mesmo Deus, com os mesmos princípios e conduta, usando inclusive os mesmos termos, mostrando e evidenciando as obras de um Criador que está presente em todos os lugares (Salmos 139), que possui todo o poder para suceder qualquer coisa que deseje (Mateus 19:26) e que sabe de tudo o que acontece, pois nada está oculto a Seus olhos (I João 3:20).

Por tantas evidências e principalmente pela fé que o cristão possui dentro de si, plantada e gerada pelo Espírito Santo, que nos “convence do pecado, da justiça e do juízo” (João 16:8), é que a Bíblia é considerada 100% verdadeira, contendo as Palavras do próprio Deus.

“Porque nunca, jamais, qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”. 2 Pedro 1:21

Diferentemente de todas as outras religiões, a vida do verdadeiro cristão é baseada ÚNICA e EXCLUSIVAMENTE na Bíblia. Tudo o que se deve fazer e no que crer estão escritos nas Escrituras.

Enquanto que, no Espiritismo, por exemplo, vemos divergências entre os seus seguidores, onde cada um vive segundo sua própria forma de pensar, o cristão se baseia na Bíblia. Inclusive nela provamos nossas próprias experiências. Se algo se revelar ao homem de maneira que haja contradição com as Escrituras sabemos que a revelação não partiu do Senhor, mas de Satanás.

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. 1 João 4:1

“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios”. 1 Timóteo 4:1.

E isto é muito compreensível, pois como poderia um Deus santo, justo, verdadeiro, em quem não há engano ou trevas, se contradizer a Seu próprio respeito? Como Ele poderia se revelar de maneiras diferentes e com princípios alterados? Assim, a Sua palavra nos diz:

“Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?” Números 23:19.

Por isso a cada dia fico mais impressionada com a revelação das Escrituras! Não consigo imaginar depositando a minha fé (colocando em risco o destino da minha alma) em livros de homens com experiências confusas e que, conforme ganha adeptos, novas teorias são exploradas e incluídas em sua doutrina. Como posso basear minha fé em algo que é modificado a cada nova edição?

Peço que você leia esse material com olhar crítico. Escolha acreditar nas Escrituras, um livro tão brilhantemente escrito pelo nosso Criador. O que seria mais compreensível humanamente: depositar sua fé em livros de um homem chamado Allan Kardec ou na Palavra de Deus?

Opte em depositar sua fé nas Escrituras e apenas nela, seguindo seus preceitos e ensinamentos, e então poderá sentir a presença de Deus tão fortemente em seu coração que jamais irá querer abandonar esse Jesus Todo Poderoso, que se entregou em uma cruz para que pudéssemos ter acesso ao Pai.

A Bíblia nos revela apenas dois caminhos eternos: céu ou inferno. Se a sua vida não estiver baseada “no caminho”, Jesus Cristo, a outra opção é apenas o inferno. Não existe meio termo. É impossível servir a dois senhores, como as Escrituras apontam:

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom”. Mateus 6:24

Peço que ao ler este pequeno estudo você entenda que ele será feito apenas (e suficientemente) a luz da Bíblia. É necessário que você creia nela como a Palavra do Deus Vivo e não apenas como mais um livro religioso. Se o Espiritismo desse crédito à Bíblia, seguiria os seus ensinamentos. Se o Espiritismo desse crédito a Jesus Cristo, ouviria as Palavras que Ele mesmo nos deixou. Nada na Bíblia pode ser acrescentado, conforme registrado pelo apóstolo Paulo:

“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja maldito”. Gálatas 1:8

Paulo nos diz que, qualquer pessoa ou até mesmo um anjo do céu (visto que demônios são anjos decaídos) anunciar um evangelho diferente do que está registrado nas Escrituras seja maldito! Essa severidade é necessária, pois Satanás faz isto para desviar os homens do caminho verdadeiro que conduz a salvação. Desta forma ele rouba a única esperança que temos de ser salvos: a justificação pelo sangue de Cristo.

Espero que este pequeno estudo possa conduzi-lo à verdade: Jesus Cristo, nosso ÚNICO mediador entre Deus e os homens. Escolha acreditar exclusivamente na Bíblia e tenha um relacionamento com o Deus criador de todas as coisas!


O Espiritismo


“Quando, pois, vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmura: Porventura não consultará o povo a seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-á aos mortos?”. Isaías 8:19.


Embora a necromancia e contato com espíritos “mortos” seja uma prática presente na história da humanidade a séculos, o espiritismo moderno tem sua origem com as irmãs Kate e Margarete Fox, em 1.848, em Hydesville, Nova York (EUA). Por meio de alegados contatos com supostos “espíritos desencarnados” (o que mais tarde descobriu-se ser uma fraude), esta forma de comunicação se espalhou pela Europa e EUA.

A popularidade desta religião veio através da instrumentalidade de um francês chamado Hipólyte Leon Denizard Rivail que, através de uma sessão espírita em 1856 recebeu através de uma médium a informação que dali por diante um espírito chamado “A Verdade”, seria o seu guia espiritual. Hipólyte se intitulou Allan Kardec, pois afirmava ser a encarnação de um poeta Celta.

Kardec “uniu” o cristianismo à necromancia e a alguns conceitos hindus. Um dos fatores que contribuiu para que houvesse um avanço dessa religião aqui no Brasil foi o destaque conferido à pessoa de Jesus Cristo, visto que, de modo geral, a maioria dos brasileiros se intitula cristão.

Em seu livro, O Evangelho Segundo o Espiritismo, Kardec tenta sintetizar dois segmentos religiosos. Até então não existia o “espiritismo cristão”, mas ao fazer de Jesus um médium, Kardec fez com que muitas pessoas se aproximassem de práticas até então condenadas, de modo que ao mesmo tempo se sentissem cristãs.

Ele foi autor de diversos livros e faleceu em 1869, em Paris, aos 65 anos, vítima de aneurisma cerebral. Na França hoje não há mais do que mil adeptos do Espiritismo (motivo: informação).


Quem é Jesus segundo o Espiritismo


O Espiritismo não vê Jesus da mesma maneira que a Bíblia nos descreve, e isto não se trata de interpretação, mas de pontos fundamentais da fé cristã. O apóstolo Paulo já se preocupava com a questão das distorções ao Evangelho e podemos observar isto nos textos abaixo. Observe o que ele fala:

“Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo. Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis”. 2 Coríntios 11:3-4.

“E digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas (...). Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças. Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade”. Colossenses 2:4-9


Allan Kardec não acreditava na veracidade da Bíblia e na divindade de Jesus:

Antes de apontar a frase de Kardec leia o texto de João 1:1:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez (...). E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade”. João 1:1-3 e 14.

Nesta passagem vemos o apóstolo João nos mostrando Jesus como o Próprio Deus, descrevendo a sua participação na criação do mundo (Gênesis usa “No princípio criou Deus os céus e a terra...”) e logo depois dizendo que O Verbo (Deus) se fez carne e habitou entre nós.

Neste versículo não há o que se contestar a respeito da divindade de Jesus, pois Ele é o Verbo, e sendo Verbo, é Deus. Sabendo disto, Kardec escreveu:

“Primeiramente, é preciso notar que as palavras citadas são de João e não de Jesus. Admitindo-se que não tenham sido alteradas, não exprimem, na realidade, senão uma opinião pessoal, uma indução que deixa transparecer o misticismo habitual, contrário à reiteradas afirmações do próprio Jesus”.

Kardec primeiro começa questionando a veracidade da Bíblia ao dizer “admitindo-se que não tenham sido alteradas”, supondo que as Escrituras pudessem ter sido modificadas. Ora, então, por que o Espiritismo Kardecista crê na Bíblia se considera que pode ter sido mudada pelo homem?

Em segundo lugar ele diz que se trata de uma opinião do apóstolo João. Como apontei logo na introdução desse estudo, nós acreditamos que a Bíblia foi divinamente inspirada pelo Espírito Santo (que é Deus) e que os homens não escreveram por si, mas foi Deus quem revelou cada palavra. Como pode então João ter falado um pensamento pessoal se a Bíblia é um registro do próprio Senhor? Vemos em mais um ponto a falta de confiança de Kardec na Bíblia.

Em terceiro lugar ele diz que Jesus nunca disse ser Deus, no entanto, a Bíblia registra vários momentos de Cristo dizendo ser Deus, inclusive, Jesus só foi crucificado pelos judeus por ter se declarado Deus, o que fez os religiosos da época se indignarem por tamanha “blasfêmia” e acabarem por crucificá-Lo.

“Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus”. João 5:18.

• Declarações de Jesus dizendo que é Deus:

“Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU”. João 8:58.

Jesus usou o nome de Deus para se identificar. No Antigo Testamento, quando Moisés perguntou a Deus qual era o seu nome, veja o que o Senhor disse:

“Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós”. Êxodo 3:13-14.

Observe outras passagens:

“Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco e não me tendes conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?”. João 14:8-9.

“Eu e o Pai somos um”. João 10:30.

“[Jesus]: Crede nas obras; para que possais saber e compreender que o Pai está em mim, e eu estou no Pai”. João 10:38.

“Respondeu-lhes Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. João 14:6.

Note que neste versículo Jesus não diz “Ninguém vai ao Pai”, mas diz “Ninguém Vem ao Pai”, porque Ele e o Pai são realmente o único Deus! Não confunda isto com Jesus ser o Pai, se tratam de duas personalidades, mas do mesmo Deus.


• Jesus perdoa pecados, atribuição exclusiva de Deus:

Declaração de Deus no Antigo Testamento de que Ele perdoa os nossos pecados:

“Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro”. Isaías 43:25.

Declaração de Jesus mostrando Sua autoridade para perdoar pecados:

“E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus?
E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações? Qual é mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos”. Marcos 2:1-12.


• Jesus aceita adoração, atitude exclusiva a se prestar a Deus.

Jesus declara a Satanás que somente Deus é digno de receber adoração.

“Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás”. Mateus 4.10.

Depois verificamos que Jesus recebe a adoração das pessoas e dos anjos:

"Então aproximaram-se os que estavam no barco, e adoraram-no, dizendo: És verdadeiramente o Filho de Deus". Mateus 14:33.

"Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!". Mateus 15:25.

"E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram (...) E os onze discípulos partiram para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes tinha designado. E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram". Mateus 28:9-17.

"E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem". Hebreus 1:6.


• Jesus foi adorado e abertamente identificado como Deus, sem que se opusesse a tal declaração:

"E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna". 1 João 5:20.

“Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo”. 2 Pedro 1:1.

“Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu. Disse-lhe Jesus: Porque me viste, crestes? Bem-aventurados os que não viram e creram”. João 20:28-29.

“E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo”. Efésios 3:9.

“Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo". Judas 1:4.

“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”. 1 Timóteo 2:5.

“Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém”. Romanos 16:27.


• Jesus é o Messias prometido aos judeus no Antigo Testamento, onde encontramos os profetas dizendo que este Messias seria Deus.

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. Isaías 9:6.

“Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel”. Isaías 7:14.
Obs: Emanuel significa Deus Conosco!



Léon Denis, o consolidador do kardecismo e filósofo do espiritismo, nega a obra redentora de Jesus na cruz:

“Não, a missão de Cristo não era resgatar com o seu sangue os crimes da humanidade. O sangue, mesmo de um Deus, não seria capaz de resgatar ninguém. Cada qual deve resgatar-se a si mesmo”.

Nesta frase Léon retirou toda a mensagem da Bíblia. O Antigo Testamento nos prepara para a remissão dos pecados por meio do sangue, e no Novo Testamento temos isto concretizado por meio de Cristo.

Em Gênesis vemos o registro do primeiro pecado do homem que, desobedecendo a Deus, comeu do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal e passou a ser mortal. O homem agora, com sua natureza pecaminosa, não poderia mais ter contato com Deus, devido a santidade do Senhor.

Deus então prepara uma medida provisória para que o homem fosse justificado de seus pecados: o sacrifício de um animal limpo, onde era necessário que o homem cresse que seus pecados passariam para aquele animal (geralmente um cordeiro) e ele seria justificado perante Deus.

Quando Cristo veio à Terra e foi morto naquele madeiro, derramou o Seu sangue, como se fosse do animal sacrificado no Antigo Testamento, mas tornando necessário que o homem creia que o sangue derramado justifica seu pecado diante de Deus. O sangue é extremamente importante na Bíblia, pois ela nos afirma que “o pagamento do pecado é a morte” (Romanos 6:23).

O sangue de Jesus pagou o preço pelo pecado definitivamente, precisando que o homem apenas creia e siga Seus passos e orientações deixadas. O ser humano não consegue ser salvo por Deus por suas boas ações. Não adianta as pessoas fazerem o bem ao próximo para conseguir ser justificado diante do Senhor (entenda que fazer o bem é nossa obrigação e não algo louvável).

Com o pecado concretizado lá no jardim do Éden toda a humanidade fica manchada pelo pecado. Somente o sangue de Cristo é capaz de nos justificar. Retirar a obra redentora de Jesus é o mesmo que anular todo o significado das Escrituras, desde o Antigo ao Novo Testamento.

Vejas as declarações bíblicas de que é o sangue de Jesus que resgata o homem do pecado:

“No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. João 1:29.

“Tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos”. Mateus 20:28.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus". João 3:16-18.

“Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. 1 João 1:7.

“Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto”. Efésios 2:13.

“E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados”. Apocalipse 1:5.

“É nessa vontade dele que temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre. Ora, todo sacerdote se apresenta dia após dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados; mas este, havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, assentou-se para sempre à direita de Deus”. Hebreus 10:10-12.

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor". Romanos 6:23.

“Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome”. João 20:31



O Espiritismo também nega a ressurreição corporal de Jesus

Observe o que o Espiritismo fala sobre a ressurreição de Jesus no livro A Gênese:

“Depois do suplício de Jesus, o seu corpo ficou lá inerte e sem vida; foi sepultado como os corpos comuns e todos puderam vê-lo e tocá-lo. Depois da ressurreição, quando quis deixar a Terra, não tornou a morrer; seu corpo elevou-se, apagou-se e desapareceu, sem deixar vestígio algum – prova evidente de que morrera na cruz... Jesus teve, pois, como toda a gente, um corpo carnal e um corpo fluídico”. “A Gênese, PP. 1054, 1055. Editora Opus Ltda. 1985.

Negar a ressurreição corporal de Jesus é pregar outro evangelho. Veja:

• Algumas declarações Bíblicas da ressurreição corporal de Jesus (ainda neste estudo veremos o que é a Ressurreição de maneira detalhada):

“Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: Que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E apareceu a Cefas e, depois, aos doze. Depois foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez”. 1 Coríntios 15:3-6.

“E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé; e somos tidos por falsas testemunhas de Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não ressuscitou (...) Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens”. 1 Coríntios 15:14-17.

“A estes também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus”. Atos 1:3.

“Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei (...) Ele porém se referia ao santuário do seu corpo. Quando pois, Jesus ressuscitou dentre os mortos, lembraram-se os discípulos de que ele dissera isto, e creram na Escritura e na Palavra de Jesus”. João 2:19-22.



A utilização da Bíblia pelo Espiritismo

Para atrair, o espiritismo de Kardec fez amplo uso das Escrituras Sagradas para provar seus ensinos. Ele faz a Bíblia dizer o que ela não diz e, com isso, distorce muitas passagens da palavra de Deus para que se encaixem em sua opinião. Pudemos observar isso na questão prioritária da Bíblia, que é o Senhor Jesus, imagine então os outros ensinamentos!

As passagens são citadas isoladamente, fora de contexto, e estritamente selecionadas, ou seja, a Bíblia não é usada como um todo, mas apenas as passagens consideradas favoráveis aos pontos de vista espíritas. Geralmente, os estudiosos kardecistas arriscam um confronto bíblico com as doutrinas espíritas até que possam harmonizar as coisas, porém, quando encurralados, negam completamente o reconhecimento da Bíblia como autoridade de fé e prática.

Léon Denis, expressou sua opinião sobre a Bíblia da seguinte forma:

“Não poderia a Bíblia ser considerada a Palavra de Deus, nem uma revelação sobrenatural”.

Carlos Imbassahy, outro estudioso do espiritismo, vai ainda mais longe:

“Nem a Bíblia prova coisa nenhuma, nem a temos como probante. O espiritismo não é um ramo do cristianismo como as demais seitas cristãs. Não assenta seus princípios nas Escrituras [...], a nossa base é o ensino dos espíritos, daí o nome espiritismo”.

Mas, no livro “Evangelho Segundo o Espiritismo”, Allan Kardec escreveu:

“O Cristianismo e o espiritismo ensinam a mesma coisa” (página 1178).

Os espíritas negam a inspiração divina da Bíblia

“A Bíblia contém evidentemente fatos que a razão, desenvolvida pela ciência, não pode aceitar, e outros que parecem singulares e que repugnam, por se ligarem a costumes que não mais os nossos... A ciência, levando suas investigações desde as entranhas da terra até as profundezas do céu, demonstrou, portanto, inquestionavelmente erros da Gênese mosaica... Incontestavelmente, Deus que é a pura verdade, não pode conduzir os homens ao erro, consciente, nem inconscientemente, do contrário não seria Deus. Se, portanto, os fatos contradizem as palavras atribuídas a Deus, é preciso concluir logicamente que Ele não as pronunciou ou que foram tomadas em sentido contrário”.
(“A Gênese”, pg. 936. Editora Opus Ltda, 1985)


Se o Espiritismo ensina as mesmas doutrinas que o Cristianismo, é de se esperar que seus ensinamentos concordem com as palavras de Jesus e dos apóstolos.

Como Kardec expressou que o Espiritismo é uma revelação que procede de Deus, então ela deve confirmar o que fora revelado no Antigo e no Novo Testamento. Mas pelas declarações que vemos, ora retirando a credibilidade da Bíblia, ora “concordando” com trechos dela, podemos observar que o Espiritismo ensina o OPOSTO do Cristianismo.

Veja mais uma declaração de Kardec retirando a credibilidade de Gênesis sobre a criação do mundo pelas mãos de Deus:

A Bíblia contém evidentemente fatos que a razão, desenvol¬vida pela ciência, não pode hoje aceitar, e outros que parecem singu¬lares e que repugnam, por se ligarem a costumes que não são mais os nossos. A ciência levando as suas investigações desde as entranhas da terra até às profundezas do céu demonstrou, portanto, inquestionavel¬mente os erros da Gênese mosaica, tomada ao pé da letra, e a impossi¬bilidade material de que as coisas se passassem conforme o modo pelo qual estão aí textualmente narradas, dando por essa forma profundo golpe nas crenças seculares ("A Gênese. Obras Completas”. Editora: Opus, p. 911).

O espiritismo nega a criação conforme descrita no livro de Gênesis 1:26-27 e 2:7. Ele aprova o Evolucionismo, por isto, admite que o registro bíblico não deve ser tomado literalmente, mas apenas em sentido figurado.

• Jesus reiterou a criação dos seres humanos, descrita em Gênesis 1:26-27 ao dizer:

“Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez”. Mateus 19:4.

• Em Hebreus 11:3 lemos que:

"Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente". Hebreus 11:3.

• Em Salmos também:

"Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos". Salmos 19:1.

"Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios". Salmos 24:1-2.

• Por isso, os cristãos aceitam as declarações de 2 Timóteo 3:16-17 que toda a Bíblia é inspirada e é a inerrante Palavra de Deus. A ciência, na qual se baseia o espiritismo está mudando de opinião frequentemente, de modo que não pode ser levada a sério, pois não tem a última palavra.

Veja declarações bíblicas de que tudo o que foi escrito foi inspirado pelo próprio Deus:

"E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra". 2 Timóteo 3:15-17.

"Por isso também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade), como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes". 1 Tessalonicenses 2:13.

“Porque nunca, jamais, qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”. 2 Pedro 2:21.


Verdades Bíblicas negadas pelo Espiritismo


Sobre o Céu

Os espíritas negam a existência do Céu como um lugar de felicidade

“A felicidade dos espíritos bem-aventurados não consiste na ociosidade contemplativa, que seria, como temos dito muitas vezes, uma eterna e fastidiosa inutilidade”.
“O Céu e o Inferno”, p. 722. Editora Opus Ltda. 1985.

“Em que se deve entender a palavra céu? Achais que seja um lugar, como aglomerados, sem outra preocupação que a de gozar, pela eternidade toda, de uma felicidade passiva? Não; é o espaço universal; são os planetas, as estrelas”.
“O Livro dos Espíritos”, p. 250. Editora Opus Ltda. 1985.


A Bíblia descreve três céus:

• O que está acima de nós, ou a atmosfera da terra (Mateus 6.26)

“Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?” Mateus 6:26.

• O espaço onde estão os astros (Mateus 24.29)

“E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas”. Mateus 24:29.

• O “paraíso” ou “terceiro céu” (2 Coríntios 12.2,4), que é a morada de Deus e dos anjos.

“Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado ao terceiro céu”.


A Bíblia tanto afirma que o Céu foi criado por Deus como também que é habitação do Senhor e dos anjos. Ao ensinar os discípulos como orar, o Senhor Jesus afirmou que Deus está no Céu:

“Pai nosso, que estás nos céus” (Mateus 6.9; 22.30; João 14.1-3).

O primeiro registro dessa verdade está em Gênesis 5.24. A Bíblia afirma que Enoque, um homem santo do Antigo Testamento, foi levado por Deus para o Céu. Em 2 Reis 2.11 também está escrito que Elias, um profeta de Deus, “subiu ao céu” milagrosamente. Um fato muito conhecido é o do ladrão que foi crucificado ao lado de Jesus. O Senhor disse-lhe:

“Hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23.43).

De acordo com a Bíblia, no Céu não haverá qualquer tipo de tristeza, doença e morte. Em Apocalipse 21.4 lemos que “Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, pranto, nem clamor, nem dor”. Portanto, o Céu é um lugar de eterna alegria e adoração a Deus (Apocalipse 4.8-11).

A Bíblia declara que no Céu todo o servo do Senhor Jesus receberá um novo corpo. Deus transformará o corpo mortal em corpo imortal, incorruptível e glorioso (Filipenses 3.21; 1 Coríntios 15.51-53). Céu é um lugar que Deus preparou para aqueles que se tornaram santos quando aceitaram a Jesus como seu único Salvador. A Bíblia diz que:

“Só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” entrarão no Céu (Apocalipse 21.27).

Os cristãos servirão ao Senhor assim como os anjos servem (Apocalipse 22.3). No Céu, os crentes estarão revestidos de imortalidade e perfeição para oferecer a Deus um serviço perfeito.



Sobre o Inferno

Os espíritas negam o inferno como lugar de tormento eterno e consciente

“[Jesus] Limitou-se a falar vagamente da vida bem-aventurada, dos castigos reservados aos culpados, sem referir-se jamais nos seus ensinos a castigos corporais que constituíram para os cristãos um artigo de fé”. O Céu e o Inferno, pg. 726. Editora Opus Ltda, 1985.

• Verdades Bíblicas sobre o inferno

Jesus não falou vagamente sobre os castigos reservados aos culpados. Falou claramente em várias passagens sobre o sofrimento eterno dos ímpios (Mateus 5.22-29; 10.28; 13.42, 49-50; Mc 9.43-46; Lc 6.24; 10.13-15; 12.4-5; 16.19-31). Veja alguns deles:

"Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos (...) E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna". Mateus 25:41-46.

"E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo". Mateus 10:28.

"E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes". Mateus 13:42.

"Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos, e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes". Mateus 13:49-50.


Sobre o diabo e seus demônios


Os espíritas negam a existência do diabo e demônios como pessoas reais espirituais

“Satã, segundo o espiritismo e a opinião de muitos filósofos cris¬tãos, não é um ser real; é a personificação do mal, como nos tempos anti¬gos Saturno personificava o tempo”. "O Que É o Espiritismo", p. 297. Editora Opus Ltda, 1985.


Há demônios, no sentido que se dá a essa palavra? Se houvesse demônios, seria obra de Deus. E Deus seria justo e bom, criando seres, eternamente voltados ao mal?
"O Livro dos Espíritos", pp. 72-74. Editora Opus Ltda, 1985.


A propósito de Satanás, é evidente que se trata da personificação do mal sob uma forma alegórica."O Livro dos Espíritos", p. 74. Editora Opus Ltda, 1985.



• Verdades Bíblicas sobre o diabo e seus demônios

- Deus não criou um ser maligno, mas um anjo de luz que se desviou:

"Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo". Isaías 14:12-15.

"Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas".
Ezequiel 28:14-16.

- Jesus disse que Satanás não permaneceu na verdade:

"Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira". João 8:44.

- O diabo trata-se de uma personalidade real pois:

* É mencionado entre pessoas espirituais:

"E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles. Então o SENHOR disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao SENHOR, e disse: De rodear a terra, e passear por ela". Jó 1:6-7.

* Conversou com Jesus no monte, tentando-O:

"Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo (...). E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães (...). Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam". Mateus 4:1-11.

É uma pessoa inteligente, que faz planos para ludibriar os outros:

"Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar". 1 Pedro 5:8.

Está condenado ao fogo eterno:

"E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre". Apocalipse 20:10.


Sobre a Ressurreição

Os espíritas negam a ressurreição do corpo


“Em que se torna o Espírito depois de sua última encarnação? Em puro Espírito”. (“O Livro dos Espíritos”, p. 84. Editora Opus Ltda, 1985).


Mas a Bíblia não só fala como enfatiza a ressurreição. Declarações e explicações bíblicas sobre ressurreição:

Dito pelo profeta Isaías:

"Os teus mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos". Isaías 26:19.

Dito pelo profeta Daniel:

"E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente". Daniel 12:1-3.

Dito pelo Senhor Jesus:

"Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação". João 5:28-29.

Dito por Marta, irmã de Lázaro (ressuscitado por Jesus):

"Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido. Mas também agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar. Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último dia". João 11:21:24.



Dito por Paulo:

"Tendo esperança em Deus, como estes mesmos também esperam, de que há de haver ressurreição de mortos, assim dos justos como dos injustos". Atos 24:15.

- Pessoas que foram ressuscitadas na Bíblia:

* Elias ressuscitou o filho da mulher de Sarepta (1 Reis 17:17-24)
* Eliseu ressuscitou o filho da mulher Sunamita (2 Reis 4:18-37)
* Um homem morto ressuscitou após o corpo dele tocar nos ossos de Elias (2 Reis 13:21)
* Jesus ressuscitou o filho da viúva de Naim (Luc 7:11-15)
* Jesus ressuscitou a filha de Jairo (Luc 7: 41, 42, 49-55)
* Jesus ressuscitou Lázaro (João 11:1-44)
* Jesus ressuscitou! (Mateus 28:5-8; Marcos 16:6; Lucas 24:5, 6)
* Pedro ressuscitou Dorcas (Atos 9:36-41)
* Paulo ressuscitou Êutico (Atos 20:9-10)

- No Juízo Final, diante do Trono Branco, todos irão ressuscitar:

"E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo". Apocalipse 20:12-15.



Sobre a Trindade

Os espíritas negam a Trindade


“Examinemos os principais dogmas e mistérios, cujo conjunto constitui o ensino das igrejas cristãs. Encontramos a sua exposição em todos os catecismos ortodoxos. Começa com essa estranha concepção do Ser divino, que se resolve no mistério da Trindade, um só Deus em três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Essa concepção tribu¬tária tão obscura, incompreensível...”. ("Cristianismo e Espiritismo", 7ª edição 1978, p. 86)


Definido a doutrina da Trindade: Há um só Deus verdadeiro, que é trino em personalidade, ou seja, há três pessoas de uma só natureza que são chamadas na Bíblia de Deus:

- O Pai

"Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido". 2 Pedro 1:17.

- O Filho

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (...) E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós". João 1:1 e 14.

- O Espírito Santo

"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Não vos deixarei órfãos". João 14:16-18.

"Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? (...) Não mentiste aos homens, mas a Deus". Atos 5:3-4.


Essa definição pode ser explanada e biblicamente provada seguindo três fatos:

• Existe um só Deus. No hebraico existe unidade para ser único e unidade para ser composto. Nas referências sobre Deus, no original usa-se sempre unidade composta, da mesma forma como lemos em Gênesis 2:24, quando fala que o homem deixará seu pai e mãe e será com sua mulher uma só carne (unidade composta):

"Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR". Deuteronômio 6:4.

"Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá". Isaías 43:10.

"Eu sou o SENHOR, e não há outro; fora de mim não há Deus”. Isaías 45:5.

• Esse único Deus é constituído de uma pluralidade de pessoas. Veja textos que empregam o verbo “façamos” e o pronome “nossa” e “nós”:

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra". Gênesis 1:26.

"Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente". Gênesis 3:22.

"Eia, desçamos e confundamos ali a sua língua, para que não entenda um a língua do outro". Gênesis 11:7.

"O ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória (...) Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim". Isaías 6:1-3;8.



Doutrinas anti-Bíblicas ensinadas pelo Espiritismo


Reencarnação

A reencarnação é a doutrina central do Espiritismo. Os kardecistas afirmam que após a morte o espírito continua assumindo outros corpos, com o objetivo de atingir a perfeição, através de sucessivas vidas. Allan Kardec define esse ensino da seguinte forma:

“A reencarnação é a volta da alma á vida corpórea, mas em outro corpo, especialmente formado para ela e que nada tem de comum com o antigo”. (“O Evangelho Segundo o Espiritismo”, pg. 561. Editora Opus Ltda, 1985).

Alan Kardec afirma se tratar da referência judaica à ressurreição:


“A reencarnação fazia parte dos dogmas judaicos sob o nome de ressurreição... A reencarnação é a volta da alma, ou espírito, à vida corporal, mas em outro corpo novamente formado para ele que nada tem de comum com o antigo”. (O Evangelho segundo o Espiritismo).


“O princípio da reencarnação ressalta, aliás, de muitas passagens das Escrituras, encontrando-se especialmente formulado de maneira explícita, no Evangelho”.
(“O Livro dos Espíritos”, pg. 96. Editora Opus Ltda, 1985).

Quando Kardec estabelece a volta da alma a outro corpo difere do ensino da Ressurreição, pois esta significa a volta da alma ao próprio corpo. Como vimos anteriormente sobre a Ressurreição, ela é uma doutrina bíblica ensinada por Jesus da qual vemos vários exemplos tanto no Antigo como no Novo Testamento.

"Mas ele, pondo-os todos fora, e pegando-lhe na mão, clamou, dizendo: Levanta-te, menina. E o seu espírito voltou, e ela logo se levantou; e Jesus mandou que lhe dessem de comer. E seus pais ficaram maravilhados; e ele lhes mandou que a ninguém dissessem o que havia sucedido". Lucas 8:54-55.

Ressuscitar significa tornar a levantar-se e a Reencarnação é doutrina antibíblica ensinada pelo hinduísmo e, posteriormente ensinada por Kardec, com pequenas diferenças. A Bíblia jamais faz referência à palavra “reencarnação”, tampouco a confunde com a palavra “ressurreição”. Vejamos os seus significados didaticamente:

Reencarnação – É o ato ou efeito de reencarnar; pluralidade de existências com um só espírito.

Ressurreição – Ato de ressurgir, voltar a vida, reanimar (do latim). Biblicamente entende-se o termo como o mesmo que ressurgir dos mortos e, em linguagem mais popular, união da alma e do espírito ao corpo após a morte física.

Alan Kardec aponta como prova a história de João Batista, como sendo a reencarnação de Elias:

“João Batista era Elias... João podia, pois, ser Elias reencarnado, mas não ressuscitado...”. (“O Evangelho Segundo o Espiritismo”, pg, 59. Editor Instituto de Difusão Espírita, 2000)

A Bíblia relata que o ministério de João Batista era profético, em características e missão semelhantes ao ministério que Elias teve:

1. O aparecimento de Elias, descrito em 1 Reis 17:1 se assemelha ao aparecimento de João Batista como descrito em Mateus 3:1, anunciando o juízo e clamando por arrependimento:

"Então Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o SENHOR Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra". 1 Reis 17:1.

"E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, e dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus". Mateus 3:1-2.

2. Elias repreendeu ao rei Acabe, casado com Jezabel, mulher idólatra e ímpia em 1 Reis 18:17-18. João Batista repreendeu o rei Herodes por viver com a mulher de seu irmão em Mateus 14:3-4.

"E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe: És tu o perturbador de Israel? Então disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do SENHOR, e seguistes a Baalim". 1 Reis 18:17-18.

"Porque Herodes tinha prendido João, e tinha-o maniatado e encerrado no cárcere, por causa de Herodias, mulher de seu irmão Filipe; Porque João lhe dissera: Não te é lícito possuí-la". Mateus 14:3-4.

3. Elias foi perseguido por Jezabel (1 Reis 19:2-3) e João Batista por Herodias (Mateus 14:6-8).

"Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses, e outro tanto, se de certo amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles. O que vendo ele, se levantou e, para escapar com vida, se foi, e chegando a Berseba, que é de Judá, deixou ali o seu servo". 1 Reis 19:2-3.

"Festejando-se, porém, o dia natalício de Herodes, dançou a filha de Herodias diante dele, e agradou a Herodes. Por isso prometeu, com juramento, dar-lhe tudo o que pedisse; E ela, instruída previamente por sua mãe, disse: Dá-me aqui, num prato, a cabeça de João o Batista.


Questões não respondidas pelo Espiritismo

 Se Elias reencarnou, como se explica que ele não tenha desencarnado? A Bíblia relata que Elias não viu a morte, ele foi elevado em corpo ao céu em um redemoinho.

"E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. O que vendo Eliseu clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel, e seus cavaleiros! E nunca mais o viu". 2 Reis 2:11-12.

 Na passagem de Mateus 17:1-6 vemos Moisés e Elias aparecendo ao Senhor Jesus. Se Elias tivesse sido reencarnado, quem deveria ter aparecido seria João Batista, visto que já havia sido morto por Herodes. Segundo a doutrina da Reencarnação, quando o espírito se encarna toma sempre a forma da última existência.

"Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte. E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele”. Mateus 17:1-3.

 João Batista disse claramente que não era Elias:

"E perguntaram-lhe: Então quê? És tu Elias? E disse: Não sou. És tu profeta? E respondeu: Não. Disseram-lhe pois: Quem és? para que demos resposta àqueles que nos enviaram; que dizes de ti mesmo? Disse: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías". João 1:21-23.


O Espiritismo diz que a Reencarnação se trata do Novo Nascimento dito por Cristo:

“Se o homem não renasce da água e do espírito, ou em água e espírito, significa, pois: Se o homem não renasce com seu corpo e sua alma”. (“O Evangelho Sendo o Espiritismo”, pg. 561., 1985)

A palavra “nascer de novo” (do grego anothen), significa nascer do alto. Jesus fala da regeneração, que é a mudança das disposições íntimas da alma, estando no mesmo corpo e não do retorno do espírito a outro corpo.

"Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus". João 3:5.

"Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre". 1 Pedro 1:23.

Em João 3:4 Nicodemos perguntou:

“Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?”. Depois concluiu Jesus “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo".

O Novo Nascimento é a regeneração que ocorre quando se ouve o Evangelho de Jesus Cristo e se crê. Fenômeno que ocorre em uma existência:

"E vos renoveis no espírito da vossa mente. E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.". Efésios 4:23-24.

"Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos; E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos". Colossenses 3:9-11.

"E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus". 1 Coríntios 6:11.

"Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens; Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo; Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador". Tito 3:3-6.

“Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos) e nos ressuscitou juntamente com ele, e com ele nos fez assentar nas regiões celestes em Cristo Jesus”. Efésios 2:1-6.

A Palavra de Deus deixa claro que devemos nascer de novo, porque estávamos mortos em nossos delitos e pecados. O nascer de novo é de ordem espiritual para se viver outra vida longe do pecado, pois quem está em pecado está morto para Deus.

Não precisamos reencarnar para pagar pecados, Jesus Cristo já levou na Cruz, sobre si, todas as nossas transgressões. O Jesus dos espíritas não é mais do que um exemplo, um líder, mas o Jesus do cristianismo é o Salvador, o todo-suficiente, o único caminho e a consumação de toda a vitória!

Observação:

Até mesmo os apóstolos poderiam ter esperado uma palavra de Cristo que aprovasse a Reencarnação quando lhe perguntaram se o motivo de certo homem ter nascido cego seria o pecado de seus pais. Mas Jesus não partilhou daquele pensamento, mas respondeu:

“Nem ele pecou, nem seus pais, mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus”. João 9:3.


O que a Bíblia diz sobre o destino da alma

Na parábola do rico e do mendigo, ensinada pelo Senhor Jesus em Lucas 16:19-31, vemos a descrição do destino eterno de duas pessoas, no instante em que morrem. Nela, Jesus descreve dois destinos para o homem: o céu ou o inferno, e que esses lugares jamais poderão ser alterados após a morte. Da mesma maneira, um morto não pode voltar a essa vida, quer como guia, para atender às invocações do espiritismo, quer como santos, para atender às súplicas do povo.

A história: Jesus conta a história de dois homens: um rico e um mendigo; um em gozo e fartura e outro em sofrimento e penúria. Ambos, porém, morreram. Foram sepultados. Quando morreram, Lázaro foi para o céu e o rico para inferno. Lázaro no gozo e o rico em tormento.

O rico suplica ao pai Abraão (Deus) que Lázaro molhe a ponta do dedo e lhe refresque a língua, pois está atormentado nas chamas. Deus lhe respondeu que isso não era possível, pois havia um grande abismo entre os dois, de maneira que os que quisessem passar do céu para o inferno não poderiam, nem os do inferno para o céu.

O rico então implorou a Deus que mandasse Lázaro à casa de seus familiares para contar como era o inferno, para que eles não fossem para lá. Mas Deus falou que isso era impossível, e que eles tinham as palavras de Moisés e dos profetas (Bíblia) para conhecer os dois lugares e como ir para um e para o outro.
Mas o rico insistiu alegando que se seus familiares vissem a Lázaro ressurreto dentre os mortos, se arrependeriam. E Deus encerra falando que se eles não davam crédito às palavras de Moisés e dos profetas também não se deixariam persuadir ainda que alguém ressuscitasse dentre os mortos (analogia feita por Jesus a Ele mesmo, que ressuscitaria).

Pontos que podemos observar com esse texto:

a. A salvação da alma só é possível nesta vida e somente aqui.
b. Depois da morte não há salvação; se houvesse, Deus teria atendido o rico.
c. Lázaro foi para o céu, porque cria na Palavra dos Profetas e não por ser pobre. O rico foi para o inferno, porque não creu na Palavra.
d. Há somente dois lugares na eternidade: céu e inferno. Se há apenas dois lugares, segue-se que não há purgatório e nem reencarnação.
e. Ao deixar este mundo, cada um seguirá seu destino, já traçado nesta vida.
f. Jesus e as Escrituras dizem que existem dois lugares distintos, o paraíso e o inferno.
g. Do céu ninguém volta à terra e nem do inferno; também do céu ninguém passará para o inferno e nem do inferno para o céu.
h. Céu e inferno são eternos.
i. A Bíblia ensina o caminho para o céu (Jesus).


Invocação aos mortos

A Reencarnação e a invocação dos mortos são as duas principais estacas de sustentação de todo o dolo espiritista. Já vimos a questão da reencarnação logo acima, agora veremos como a Bíblia condena a tentativa de invocação aos mortos e também nos afirma não ser possível esse contato, no entanto, nos esclarece que os demônios tem poder para se transfigurar até mesmo em anjo de luz para enganar e levar as pessoas ao engano e, consequentemente, à condenação eterna.

“Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o Senhor teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém, quanto a ti, o Senhor teu Deus não permitiu tal coisa”. Deuteronômio 18:9-14.

Com base nessas palavras de Moisés, no seu livro “O Céu e o Inferno”, Alan Kardec diz:

“Moisés devia, pois, por política, inspirar aos hebreus aversão a todos os costumes que pudessem ter semelhanças e pontos de contato com o inimigo”.

Alegar que Moisés se opunha aos costumes pagãos dos cananeus, simplesmente por razões políticas é demonstração ignorância quanto às Escrituras. A proibição divina de se consultar os mortos é clara e registradas em várias passagens bíblicas.

Na prática de tais consultas sempre houve mistificações, mentira, farsa, comercialização de cartas do além e manifestação de demônios. É o que acontece nas sessões espíritas, em que espíritos demoníacos, espíritos enganadores se manifestam, identificando-se com os nomes de pessoas amadas que já faleceram.

Alguns desses espíritos têm aparecido, identificando-se com nomes de grandes homens, ministrando ensinos e até apresentando projetos éticos e humanitários, que terminam sempre em destroços. É o caso do engenheiro que se passava pelo Dr. Fritz (a fraude terminou em 1999).

Aquele cidadão enganou a milhares, deixou gente gravemente enferma e até há denúncias de casos de mortes. Isso é o Espiritismo. São espíritos que se prestam a serviço do pai da mentira, Satanás. O povo de Deus, porém, possui inigualável revelação de Deus pela qual disciplina a sua vida.

“Quando, pois, vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-ão aos mortos?”. Isaías 8:19.


O estado dos mortos

O testemunho geral das Escrituras é que os mortos, devido ao estado em que se encontram, não têm parte em nada do que se faz e acontece na terra, debaixo do sol. Veja, por exemplo, o que disseram grandes figuras da Bíblia:

Jó:

“Assim como a nuvem se desfaz e passa, assim aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir. Nunca mais tornará à sua casa, nem o seu lugar jamais o conhecerá”. Jó 7:9-10.

Salomão:

“Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos... já não tem parte alguma para sempre, em coisa alguma do que se faz debaixo do sol”. Eclesiastes 9:5-6.

Davi:

“Mostrarás, tu, maravilhas aos mortos ou os mortos se levantarão e te louvarão? Será anunciada a tua benignidade na sepultura ou a tua fidelidade na perdição? Saber-se-ão as tuas maravilhas nas trevas, e a tua justiça na terra do esquecimento?”. Salmos 88:10-12.

Ezequias:

“Porque não te louvará a sepultura, nem a morte te glorificará; nem esperarão em tua verdade os que descem para a cova. O vivente, o vivente, esse te louvará, como eu hoje faço; o pai aos filhos faz notória a tua verdade”. Isaías 38:18-19.


Jesus na história do rico e Lázaro:

“E disse ele: Não, pai Abraão; mas, se algum dentre os mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam. Porém, Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite”. Lucas 16:30-31.

Nenhum dos textos bíblicos, até aqui citados, contradiz-se com o estado intermediário do homem ou a esperança bíblica da ressurreição dos mortos, uns para a vida eterna, outros para a vergonha e perdição eterna.

"Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno". Daniel 12:2.

As passagens bíblicas mostram sim que o homem após a morte, na sepultura, jamais poderá voltar a viver a vida de antes e que na sepultura nada poderá fazer por si mesmo e, muito menos pelos vivos.


Quem foi que apareceu a Saul em 1 Samuel 28:7-25

Os espíritas utilizam esta passagem para dizer que a consulta aos mortos é possível. Mas leia a história inteira e observará que:

Saul passava por um momento de grande desespero, pois havia infringido a Lei do Senhor e, por isso, Deus não o respondia mais, nem por sonhos, nem por Urim e Tumim e nem pelos profetas. Desesperado, desobedece a todas as ordens divinas contrárias a comunicação com os mortos, e resolve consultar uma médium.

Durante toda a sessão, apenas a mulher vê algo e dá uma descrição vaga e imprecisa dos traços do espírito que lhe está falando. Isso é suficiente para que Saul se iluda, pensando tratar-se de Samuel.

Eis algumas das razões que demonstram que houve fraude ou manifestação demoníaca:

I – Saul perdera a graça de Deus. Daí Deus não lhe responder mais. Havia três maneiras de Deus comunicar-se com os homens naquela ocasião: Por sonhos (revelação pessoal), por Urim e Tumim (revelação sacerdotal) ou por profetas (revelação inspiracional). Mas Deus não utilizou nenhum dos seus métodos plausíveis. Não seria sensato pensarmos que Ele usaria outro meio.

II – Não se pode entender que Samuel, que foi um homem santo durante sua vida, pudesse prestar-se a obedecer a uma feiticeira – depois de morto, cometendo um pecado tão claramente proibido por Deus.

"O homem ou mulher que sejam necromantes ou sejam feiticeiros serão mortos; serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles". Levíticos 20:27.

"Já estás cansada com a multidão das tuas consultas! Levantem-se, pois, agora, os que dissecam os céus e fitam os astros, os que em cada lua nova te predizem o que há de vir sobre ti. Eis que serão como restolho, o fogo os queimará; não poderão livrar-se do poder das chamas; nenhuma brasa restará para se aquentarem, nem fogo, para que diante dele se assentem". Isaías 47:13.

III – Não se pode conceber que Deus tenha proibido a feitiçaria e a consulta aos mortos e depois Ele próprio concordasse em permitir que a feitiçaria trouxesse de fato o espírito de Samuel.

IV – Em 1 Samuel 28:13 a mulher diz: Vejo deuses que sobem da terra. Quem eram eles? Só podiam ser demônios passando-se por espíritos de luz ou adivinhadores. O diabo pode transfigurar-se em anjo de luz.

"Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz". 2 Coríntios 11:13-14.

"Porque Jesus lhe dissera: Espírito imundo, sai desse homem! E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? Respondeu ele: Legião é o meu nome, porque somos muitos". Marcos 5:9.

V – Os mortos não se comunicam com os vivos

"E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo". Hebreus 9:27.

VI – O resultado dessa consulta foi trágico para Saul. De acordo com Deuteronômio 18:22, as profecias devem ser julgadas. E essas do falso Samuel não resistem ao exame. São ambíguas, imprecisas e infundadas:

1. Saul não foi entregue nas mãos dos filisteus como foi predito, mas ele se matou e veio parar nas mãos dos homens de Jabes Gileade.

2. Não morrem todos os filhos de Saul, como insinua a obscura profecia. Ficaram vivos pelo menos três filhos dele: Is-Bosete, Armoni e Mefibosete. Apenas três morreram.

As Escrituras declaram que as palavras de Samuel nunca caíram por terra (I Samuel 3:19). A desobediência sempre traz o juízo divino. A consulta aos mortos é proibida por Deus e qualquer tentativa de se estabelecer contato com eles é desobediência aos preceitos de Deus e suas trágicas conseqüências não se farão esperar.

"Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante. E não ao SENHOR, que, por isso, o matou e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé". 1 Crônicas 10:13-14.


Conclusão

Nestes dias de tristeza e angústia, muitas pessoas estão confusas ao observar tamanha injustiça no mundo. Enquanto uns nascem saudáveis e com boas condições financeiras, outros padecem de fome e solidão.

Tentando encontrar uma solução rápida para esses problemas e pesares, se iludem com a justificação de que, os menos avantajados, em outra vida foram pessoas más e agora precisam pagar pelos seus erros, para que, na próxima encarnação tenham melhor sorte.

No entanto, se o mundo seguisse desta maneira, por que as coisas só pioram? Por que os índices de violência aumentam, a fome se alastra, e cresce a falta de amor? Os homens não deveriam estar evoluindo para o melhor?

As justificativas espíritas são bem recebidas, porque o homem é ignorante a respeito dos caminhos de Deus, não consegue compreender, porque a Bíblia parece loucura. Não entendem que os males do mundo são conseqüências do afastamento do homem de seu Criador.

O homem deseja servir ao deus que lhe parece mais fácil compreender. Se movem pelo achismo e não pelo conhecimento. O espiritismo se engana pensando que o mundo chegará a um ponto melhor com tantas reencarnações. A Bíblia mostra que as coisas tendem a piorar, e só serão salvos de tamanho mal aqueles que estiverem firmes em Cristo.

Se iludem ao pensar que Satanás não é real. Esta arma o diabo utiliza, pois negando sua existência, o homem não percebe o mal que lhe cerca. Resultado: em vez de se livrarem de seus problemas, acabam se embaraçando mais e mais com eles. A razão para isso é que Satanás não é nosso amigo, e sim nosso inimigo. Ele está em guerra contra o homem e Deus.

Deus fala que Satanás é um "inimigo derrotado". Ele não tem poder a não ser mentira e engano. Os que estão presos sob seu poder são aqueles que crêem nas suas mentiras. Os demônios são representantes espertos, e têm prazer em fazer pretensões falsas de serem "Caboclos", "Orixás", "Pretos Velhos", "santos", ou anjos.

Muitos também se iludem devido o desespero da saudade de um parente que já se foi. Desejam falar com ele novamente, manter o contato. Ao ir em uma seção espírita, percebem que o médium consulta um espírito que sabe tudo sobre esse parente, suas características mais íntimas e particulares, levando a crer que se trata do próprio morto.

No entanto, esta só é mais uma armadilha de Satanás. A Bíblia diz que após a morte segue-se o juízo. Aquele que morre sem crer e reconhecer que Jesus é Deus já está condenado, mas o que crer, já está salvo.

O morto não possui qualquer contato com o vivo. O que se vê em uma seção espírita são demônios se passando por pessoas queridas. Eles não falam coisas ruins, mas iludem ao se mostrar bonzinhos. O intuito é iludir a todos para que não creiam na simplicidade que há em Cristo e se afastem da salvação.


Se o leitor for ao Espiritismo para conselho, cairá na armadilha do diabo, e se tornará escravo dele. Pois a Palavra de Deus diz que: "O salário do pecado é a morte" (Romanos 6:23).

Se buscar a Deus para sabedoria e conselho, e seguir a Jesus, ele o libertará do seu problema. Não, Deus não lhe pagará um salário por confiar nEle; mas Ele tem um presente para lhe dar - e esse presente é a vida eterna.

"Sujeitai-vos, portanto, a Deus, mas resisti ao diabo, ele fugirá de vós." (Tiago 4:7).

"Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em Ti" (Isaías 26:3).

Jesus é o verdadeiro caminho. Crer e segui-lo é tudo o que precisa fazer. Aceite a Ele ainda hoje. Não espere. Não sabemos o dia de amanhã. Não sabemos até quando estaremos vivos, e esta escolha só pode ser feita em vida.

Arrependa-se de seus pecados e reconheça Jesus como Deus e Senhor, como ÚNICO e SUFICIENTE Salvador. E estude a Palavra. Nos deixamos seduzir pelo homem, porque não conhecemos as Escrituras. Leia, estude, averigúe. Não permita que enganem e iludam você.

Jesus é Liberdade! É salvação! É refrigério para a alma mais cansada. Feliz é o homem que confia no Senhor.

"Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6).

Nenhum comentário:

Postar um comentário