22 de mar de 2011

Panorama Bíblico | Levítico

3ª Aula – Panorama Bíblico
Ministrada por: Pr. Jhonson
Data: 06.03.2011


Levítico é o livro de figuras de Deus para os filhos de Israel, com o fim de ajudá-los em seu treinamento religioso, pois eles não sabiam cultuar, nem como se aproximar de Deus. Esse é o livro da santidade de Deus (“Sede santos, porque eu sou santo”. Lv. 11:44,45; 19:2; 20:7,26).
Jesus nesse livro é nosso sacrifício pelo pecado.

Cinco ofertas ensinadas - Cada oferta se refere à vida de Cristo, até a morte na cruz.

1. O Holocausto (Morte de Cristo pelo mundo). Lv. 1.
2. Oferta de Manjares (Serviço de Cristo). Lv. 2.
3. Oferta Pacífica (Mansidão de Cristo). Lv. 3.
4. Oferta pelo pecado (Substituição de Cristo pelo pecado). Lv. 4:5-13.
5. Oferta pela culpa (Satisfação das exigências de Deus por meio de Cristo). Lv. 5:14; 6:7.

O Sacerdote – Lv. 8-10

Deus escolheu uma das doze tribos de Israel para cuidar do tabernáculo, sendo ela a tribo de Levi. Uma família dessa tribo, a de Arão, irmão de Moisés, seria a dos sacerdotes. O sacerdote cuidava dos sacrifícios oferecidos a Deus e era sustentado pelos dízimos do povo.

Ele ia do povo ao Senhor com louvor e orações, representando-o perante Deus, pleiteando a sua causa. O sacerdote esperava o pecador chegar a ele e oferecia holocausto para liberação de perdão, por meio do sacrifício de um animal inocente no lugar do que havia transgredido a lei.

O fogo que subia da cremação representava o inferno do qual a pessoa estava sendo liberta. Um detalhe importante: As patas do animal eram amarradas de maneira que ficavam abertas, exatamente como os braços de Cristo na cruz.
Antes da Lei, Abraão fez a função de sacerdote, hoje esse cargo pertence à igreja, pois ela intercede pelo mundo. Assim como dentro do lar, o homem ocupa esse papel.

O Sumo Sacerdote

Não podendo o Sacerdote consagrar a ele mesmo, existia o Sumo Sacerdote, papel ocupado por Moisés, que falava face a face com Deus. O Sumo Sacerdote atravessava o véu do Santo dos santos, lugar de habitação do Senhor, uma vez por ano. Quando Cristo morreu, esse véu foi rasgado, o véu que separava o povo do Criador. Hoje não há mais barreiras entre Deus e os homens. Moisés entrava na nuvem de glória, falava diretamente com Deus e, ao sair, ungia o Sacerdote.

Falhas no Sacerdócio – Lv. 10. O erro no sacerdócio era punido com morte.

Comentário: O apóstolo Paulo tinha uma visão de que o que havia acontecido no Velho Testamento era uma lição para nós. "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus". Rm. 12:1-2.

O nosso Grande Sumo Sacerdote

• Jesus cumpriu integralmente toda exigência da Lei:

"Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo". Hb. 2:17.

"Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado". Hb. 4:15.

• Jesus é o único mediador entre Deus e os homens:

"Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem". 1 Tm. 2:15.

• Jesus está à direita do Pai, intercedendo por nós:

"Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus". Hb. 10:12.

Oito Festas em Levítico – Eram formas de lembrar o que Deus fez. Memoriais. (Lv. 23-25)

1. Festa do Sábado
2. Festa da Páscoa
3. Festa do Pentecoste
4. Festa das Trombetas
5. Festa do Dia da Expiação
6. Festa dos Tabernáculos
7. Ano Sabático
8. Festa do Ano do Jubileu

O número “7” em Levítico - Esse livro e o Apocalipse estão impregnados com o número 7. Sete é o número de Cristo.

- Todo 7º dia era o Sábado
- Todo 7º ano era o Ano Sabático
- O Ano do Jubileu vinha depois de sete vezes, sete anos
- O Pentecoste era comemorado 7 semanas depois da Páscoa
- No 7º mês eram realizadas as Festas das Trombetas, dos Tabernáculos e da Expiação.
- O Pentecoste durava 7 dias
- A Páscoa durava 7 dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário