22 de fev de 2011

Cristãs grávidas são libertas de prisão na Eritreia

Container - lugar de prisão dos cristãos
EDITORIA: MISSÕES
Fonte: Portas Abertas | 22.02.2011

As autoridades da Eritreia libertaram duas grávidas, dias antes da data prevista. As mulheres que estiveram na prisão durante três meses, foram presas no expurgo que ocorreu nas regiões do sul do país no final do ano passado.

As condições nas prisões seriam terríveis com desnutrição grave e falta de higiene. Além disso, os presos são torturados e maltratados em bases regulares.

Em outubro do ano passado, o administrador da região o Sr. Mustafa Nur Hussein ordenou um extermínio de fim de ano de todos os cristãos evangélicos em sua província até o final de 2010.

Nos meses que se seguiram, os agentes de segurança regionais prenderam todos os líderes da rede de igreja clandestina e em muitos casos seus respectivos cônjuges também. A situação resultou em muitas crianças sem pais e deixadas aos cuidados de parentes idosos.

Muitos dos detidos seriam das igrejas evangélicas eritreias Kale-Hiwet e Mulu-Wengel.

Sobre essas situações, o Dr. Berhane Asmelash, diretor da Release Eritrea, uma organização de direitos humanos , disse: "A nossa preocupação quanto ao bem-estar das vulneráveis crianças e das mulheres é grande e, claro, a contínua perseguição é algo no qual precisamos continuamente evidenciar a todos e manter em oração. Os eritreus precisam do nosso apoio e solidariedade, e Release Eritrea continuará a focando essas necessidades.”

A perseguição

O governo da Eritreia baniu todos os grupos cristãos que não pertencem à Igreja Ortodoxa, Católica e Luterana da Eritreia em maio de 2002. Isto foi seguido pela mais grave perseguição religiosa no mundo de hoje, onde 3.000 cristãos eritreus permanecem presos em condições desumanas em várias partes do país.

Algumas estão presas desde 2002 e nunca foram levadas perante um tribunal. Muitos morreram na prisão, como resultado da tortura, de doenças tratáveis e desnutrição. Aqueles que se opõem a isso, incluindo o patriarca da Igreja Ortodoxa da Eritreia, também estão presos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário